Sua empresa está preparada para o metaverso?

metaverso facebook

No final de outubro, Mark Zuckerberg anunciou a mudança do nome de sua empresa, o Facebook, para Meta, dando mais um passo para a construção de uma visão de metaverso no negócio.

A decisão, considerada estratégica por muitos, revela o futuro da internet, das redes sociais e da sociedade como um todo, mas ainda é vista com desconfiança por algumas pessoas.

 

O que é metaverso?

Você provavelmente já ouviu este termo em algum momento nos últimos meses. O metaverso nada mais é do que uma espécie de universo virtual 3D, que tenta replicar situações através de dispositivos digitais.

O conceito, que tem muito de realidade virtual ou aumentada, é considerado o futuro da internet e promete revolucionar os relacionamentos interpessoais. Isso porque, basicamente, a ideia é que os usuários possam realizar atividades comuns como trabalhar, fazer compras e se divertir através de um mundo digital.

Mas, por mais inovador que o processo seja, duas perguntas ainda afligem quem trabalha com tecnologia: como vai funcionar o metaverso e qual será seu impacto sobre os negócios?

Em primeiro lugar, é importante notar que variações do metaverso já existem há anos no mercado – e que o Facebook não foi o primeiro a utilizar a tecnologia. A exemplo, temos os jogos interativo, como Minecraft e Fortnite, nos quais os usuários podem trabalhar e colaborar, participar de eventos e trocar dinheiro real por serviços virtuais.

O que muda é que, se antes a experiência era realizada apenas em um universo fechado, atualmente a previsão é de que os espaços virtuais 3D permitam a interação completa, seja conversando, comprando ou apenas visitando. Isso sem falar na possibilidade de locomoção livre do usuário entre esses mundos digitais.

 

Como adaptar os negócios para o metaverso?

É inegável que o metaverso abrirá novas oportunidades e frentes de negócios. Mas, apesar do anúncio recente, esta não é uma realidade para agora. Pelo menos é o que afirmam os especialistas, que preveem neste um próximo passo das redes sociais.

Ainda assim, é importante que os negócios se adaptem e comecem a traçar uma estratégia em relação à estrutura de TI. O primeiro passo é enxergar o conceito como um canal novo – e entender que as empresas devem começar do zero.

Desta forma, no que se refere à infraestrutura, será preciso apostar em novas tecnologias, como automação, Big Data, Inteligência Artificial e Machine Learning.

Para sair na frente, as empresas deverão também oferecer as mais diversas experiências virtuais, com inteligência artificial e em 3D, garantindo uma integração entre os universos físico e cibernético.

Por fim, muito além de smartphones e computadores mais potentes, ou tecnologia 5G, projetores e óculos de realidade aumentada, será essencial focar em estratégias e experiências. Afinal, a ideia é atuar em um mundo que funciona à base de uma economia virtual compartilhada.

A boa notícia é que empresas de tecnologia já estão se preparando para essa nova realidade e prometem oferecer todo o suporte necessário para quem deseja ingressar no metaverso. Nós, da Innovatium, empresa especializada em tecnologia e soluções criativas para negócios de todos os portes, estamos de olho no que vem por aí. Venha conversar com a gente!

LEIA MAIS: Quando é a hora de investir em uma customização de software?

 

Sobre a Innovatium

Somos uma empresa de tecnologia genuinamente brasileira, com um time qualificado, multidisciplinar e ágil. Oferecemos soluções eficazes para integração de sistemas, outsourcing, interoperabilidade estratégica, desenvolvimento de aplicações, sustentação e serviços de consultoria em tecnologia da informação.

São mais de 1.500 projetos entregues e mais de 100 clientes no Brasil e na América Latina, nos mais variados segmentos: saúde, varejo, indústria, serviços, entre outros.

Quer conhecer melhor nossas soluções? Clique aqui e entre em contato com nosso time.

Compartilhe essa postagem com seus amigos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

innovatium – todos os direitos reservados