Open health: tecnologia pretende inovar os sistemas de saúde

open-health

No início deste ano, o Ministério da Saúde anunciou a possibilidade de criar e implementar um sistema de “open health”, inspirado na plataforma “open banking”.  E, assim como aconteceu com o setor bancário, o modelo promete revolucionar o sistema de saúde do Brasil como um todo, trazendo mais transparência e agilidade ao mercado.

De um modo geral, esse tipo de tecnologia favorece a todos: governo, sociedade, médicos, hospitais e clínicas de um modo geral. Afinal, por meio dele é possível criar um ecossistema de dados totalmente integrado – que, se bem desenvolvido, deve facilitar e ampliar o acesso à saúde, um dos maiores desafios do país atualmente. 

Entenda mais sobre o conceito.

 

Como funciona o Open Health?

Na prática, o open health segue a lógica de intercâmbio de informações que já acontece no open banking. Isto é: o modelo permite o compartilhamento dos dados de pacientes para as instituições de saúde para que elas, por sua vez, possam oferecer serviços conforme a necessidade de cada um. 

Ou seja, não será mais preciso carregar pastas com exames prévios, laudos, imagens, prescrições, informações sobre alergias a medicamentos, atestados e outros dados de procedimentos realizados anteriormente. 

Uma vez que todos esses dados já estarão disponíveis em um sistema, a tendência é que as filas de emergência sejam cada vez menores e os tratamentos sejam mais eficientes. Além disso, a tecnologia deve garantir uma avaliação muito mais completa do paciente, permitindo, até mesmo, tratamentos preventivos.

LEIA MAIS:  TI e gestão hospitalar: quais os desafios e resultados?

 

Tecnologia que amplia a concorrência

Ter uma fonte única de dados gera um impacto positivo no mercado, uma vez que é possível oferecer ganhos em relação ao atendimento, com maior velocidade e assertividade nas decisões clínicas, evitando a realização de exames repetitivos ou tratamentos já realizados anteriormente. 

E as vantagens vão além. O compartilhamento de informações deve ampliar a concorrência, especialmente no que se refere aos planos de saúde. Atualmente, a troca de operadoras exige que o paciente colabore com uma extensa lista de documentos e históricos de doenças pré-existentes.

Com o open health, a tendência é facilitar esse processo, já que o modelo permite o compartilhamento dos registros eletrônicos de saúde, tanto dos atendimentos do Sistema Único de Saúde (SUS), quanto da rede privada e convênios. Assim, com a informação à disposição, a portabilidade que leva mais de 90 dias hoje deve ser realizada em segundos.

LEIA TAMBÉM: Como a tecnologia é aplicada na medicina diagnóstica?

Contudo, para que tudo isso se torne uma realidade – e se mostre eficiente – é preciso investir em sistemas de ponta e redes criptografadas. E, embora esta seja uma preocupação legítima, a boa notícia é que já existem atualmente sistemas que garantem a segurança e sigilo que precisamos com dados de saúde. 

Além da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que regulamenta a coleta e o tratamento de informações, o mercado tem acompanhado a evolução da tecnologia e já conta com plataformas e softwares preparados para evitar invasões ou modificações de informações, bem como realizar auditorias, controle de compartilhamento de dados do titular, entre outros.

Com isso, é certo dizer que o open health é, sem dúvidas, uma grande oportunidade para governos e planos de saúde. Também desempenha um papel importante para a população em geral, que sofre diariamente com o setor no Brasil. 

Quase inexistente em outras partes do mundo, o modelo representa um avanço importante e deve revolucionar a forma como médicos e pacientes se relacionam, facilitando a logística e o acesso à saúde.

CONTINUE LENDO: Interoperabilidade na área da saúde: como funciona?

 

Sobre a Innovatium

Somos uma empresa de tecnologia genuinamente brasileira, com um time qualificado, multidisciplinar e ágil. Oferecemos soluções eficazes para integração de sistemas, outsourcing, interoperabilidade estratégica, desenvolvimento de aplicações, sustentação e serviços de consultoria em tecnologia da informação.

São mais de 1.500 projetos entregues e mais de 100 clientes no Brasil e na América Latina, nos mais variados segmentos: saúde, varejo, indústria, serviços, entre outros.

Quer conhecer melhor nossas soluções? Clique aqui e entre em contato com nosso time.

Compartilhe essa postagem com seus amigos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

innovatium – todos os direitos reservados